Navigate / search

NÃO TEMAS

1 Crônicas 11. 12 – 14

Depois  dele, Eleazar, filho de Dodó, o aoíta; ele estava entre os três valentes. Este esteve com Davi em Pas-Damim, quando os filisteus ali se ajuntaram à peleja, onde havia um pedaço de campo cheio de cevada; e o povo fugia de diante dos filisteus. Mas eles se puseram no meio daquele campo, e o defenderam, e mataram os filisteus; e o Senhor os salvou com uma grande vitória.

não temas

Após a morte de Saul todos os líderes de Israel foram encontra-se com Davi, em Hebrom. Então Davi promoveu com acordo sagrado com todos eles, foi ungido e a partir daí se tornou rei de Israel, assim como o Senhor lhe tinha prometido, através de Samuel.

Entretanto para chegar a este momento, Davi foi muito ajudado pelo povo e pelos seus soldados famosos. O primeiro destes famosos foi Jasobeão, que era o líder de um grupo denominado “Os Três”, e diz a história que esse homem lutou  contra trezentos soldados  inimigos, matando-os em uma só contenda. Após ele, porém não menos famoso, e também pertencente ao grupo dos “Três”,  encontramos  Eleazar, que lutou ao lado de Davi, na batalha de Pas-Damin, contra os filisteus. Segundo a Palavra, ele se encontrava dentro de uma plantação de cevada, no momento em que todo o povo de Israel começou a fugir com medo do inimigo, então, juntamente com seus soldados, não arredou pé e enfrentou os filisteus e o Senhor lhe deu uma grande vitória.

E é em Eleazar que queremos focar. Sua atitude mudou a trajetória de uma batalha. Enquanto todos fugiram com medo do inimigo, ele, numa demonstração de grande coragem ficou, os enfrentou e Deus, em sua fidelidade, lhe concedeu a vitória. Porém é preciso ressaltar que se ele não tivesse tomado a decisão de enfrentar os filisteus, seria mais um a ter saído correndo. Jamais teria conseguido ter a satisfação de ter vencido, porque seria mais um a compor o grupo daqueles que preferiram fugir.

Estamos falando da coragem de um homem e do medo de um povo. Com certeza seria muito mais fácil escrever sobre a atitude de Eleazar, corajosa, digna de louvor, porém gostaríamos de refletir sobre a  atitude da maioria, o medo.

Se formos buscar a definição para este sentimento, encontraremos diversas, porém ele é nada mais, nada menos, do que a resposta a uma situação que julgamos perigosa e que pode nos afetar e aí, respondemos bàsicamente fugindo ou enfrentando.

Então sentir medo não é normal? É claro que é normal. Todos nós, em algum momento de nossas vidas, fomos confrontados com alguma situação que nos levou a ter medo, o que significa dizer que passaremos por muitas outras que provocarão a mesma reação. O que o medo não pode fazer conosco é nos paralisar a ponto de fugirmos de determinadas situações, a ponto de perdermos a noção de bom senso, quando isto acontece pode significar que estamos nos deixando dominar totalmente pelas circunstâncias e colocando Deus em último lugar em nossas vidas, esquecendo-nos que Ele está no controle de todas as coisas.

Outra coisa que o medo pode fazer conosco é nos levar a perder excelentes oportunidades que surgem ao longo de nossa caminhada.

Quando a mãe de Moisés resolveu escondê-lo e colocá-lo em um cesto no rio, a fim de evitar que ele morresse por ordem do Faraó, jamais poderia imaginar que o seu filho fosse ser resgatado pela filha do Faraó e mais, que Miriã, irmã de Moisés, tomasse a iniciativa de recomendar para a princesa uma enfermeira, sua própria mãe, para tomar conta da criança. Miriã não teve medo, aproveitou a oportunidade, se aproximou , fez a oferta e foi aceita, juntamente com sua mãe foi contratada para cuidar da criança. A pergunta que se faz necessária e simples: E se Miriã tivesse medo e não tomasse esta atitude? É claro que nada disso teria acontecido e a oportunidade teria passado.

Você que está lendo esse texto, deve estar se perguntando, então o que fazer? A resposta se encontra no Livro de Gênesis, capítulo 15, versículo 1, que diz: “Depois destas coisas veio a palavra do Senhor a Abrão em visão,  dizendo: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão.” Deus está dizendo para Abrão não ter medo, que Ele o protegerá de todo o perigo e mais, lhe dará uma grande recompensa.

Aí está a resposta à pergunta feita. Quando ficarmos com medo precisamos nos lembrar que o Deus de Abrão é o nosso Deus e Ele está nos dizendo que nos protegerá de todo o perigo, que estará conosco nos momentos ruins e que nos cobrirá com bênçãos sem medidas. Se não nos esquecermos disso e crermos de todo o nosso coração que Deus está conosco, está no controle, nos protegendo de todos os males, poderemos até sentir medo, mas não permitiremos que ele nos domine e mais, estaremos entre aqueles que sempre festejam as vitórias e não ao lado dos que vivem justificando as derrotas, porém não esqueça, é preciso crer.

Por:Marcio Motta

Preencha o seu e-mail e receba um e-book totalmente grátis. Coletânea de Versículos Bíblicos. => => => Quero Receber

 

Facebooktwittergoogle_plusmail

Comments

Rodrigo
Reply

Estou de joelhos pedindo forças pelos erros cometidos, pela cura e libertação.
Nunca me encontrei com Deus, mas acredito que ele sempre me deu sinais e eu ignorei.
Hoje, informo preciso dr forças!
Clamo a Deus e peço orações como Nunca pedi.

Marcio Motta
Reply

Rodrigo Deus é bom, continue a orar que Ele virá ao seu encontro. Obrigado pelo seu comentário.

AUREO FARIAS
Reply

Todas estas msns, muitíssimas edificantes, muitíssimas vivificantes, um verdadeiro alimento Espiritual. Graça e paz a todos.

Marcio Motta
Reply

Aureo fico feliz que a mensagem tenha edificado a sua vida. Fique com Deus.

Lília
Reply

Vocês não tem ideia de como esse site está me ajudando a superar meu sofrimento e muitas vezes chego ao desespero e falta de fé, muito obrigada! Deus está falando comigo, em cada palavra aqui e dos outros texto. Muito obrigada!!

Palavra Fiel
Reply

Que bom Lília que os nossos textos estão lhe ajudando. Muito obrigado pelo seu comentário.

Dewey Torino
Reply

You are my aspiration, I own few web logs and rarely run out from post . “Tis the most tender part of love, each other to forgive.” by John Sheffield.

Leave a comment

name*

email* (not published)

website