Navigate / search

FINANÇAS PARA CASAIS II

INTRODUÇÃO

Em todas as leituras que fazemos a respeito deste assunto, encontramos palavras como orçamento, controle de gastos, planejamento e outras afins. Isto é perfeitamente correto, pois não existe a menor condição de termos uma vida financeira saudável deixando os tópicos acima de lado.

Entretanto, gostaríamos de enfatizar que existe um outro lado da questão que, na maioria das ocasiões, não é levada em consideração. Trata-se do comportamento que cada um de nós tem quando lida com dinheiro.

Finanças para casais II

O que estamos querendo dizer é que todos os princípios financeiros são muito importantes, e vamos ver em artigos posteriores,  mas não podemos esquecer de alguns itens, também de suma importância, que dizem respeito à relação que temos com o dinheiro.

RELAÇÃO COM O DINHEIRO – De uma forma quase imperceptível nós temos uma relação com o dinheiro, isto mesmo, nós nos relacionamos com ele, a ponto de até adquirirmos um perfil financeiro/consumo, o que veremos mais a frente, porém, neste momento, gostaria de levantar uma questão que é a insatisfação, quase geral, das pessoas com o seu ganho mensal. Se fizermos uma pesquisa em qualquer grupo e perguntarmos sobre isto, a resposta da grande maioria será a de que não está satisfeito com a sua renda.

Isto nos leva a uma outra situação, de tentarmos levantar, então, de qual seria o ganho ideal e, também, não chegaríamos a nenhuma conclusão , porque o ganho ideal não existe e sabem por que? Porque  a grande maioria das pessoas gasta mais do que ganha e isto nos leva a outra pergunta, por que isto acontece?   Leia o artigo completo…

Facebooktwittergoogle_plusmail

NÃO VOS LEMBREIS DAS COISAS PASSADAS, EIS QUE FAÇO COISA NOVA

 Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não o percebeis?

(Isaias 43:18-19a)

O tempo é uma constante em nossas vidas. Vivemos nos lembrando do passado, tentando viver o presente e buscando planejar o futuro. Porém o

Não vois lembreis das coisas passadas eis que faço coisa nova

que não percebemos, é que na maioria das vezes, estamos mais focados no passado que no presente e futuro. E isto faz todo o sentido do mundo. O que fizemos no passado produziu algum resultado, que pode ter sido bom ou ruim, e é este resultado que toma conta dos nossos pensamentos. “Sugerimos que você leia também: Somos atribulados, mas não angustiados, perplexos, mas não desanimados”.

Se por acaso, fizemos algo que nos trouxe felicidade e prosperidade, por exemplo, nossos pensamentos são permeados pelos momentos felizes que passamos e pela fartura que vivemos. Se porventura, os resultados foram ruins, ficamos lamentando, sofrendo as consequências de nossos atos. Como no presente e no futuro os resultados não estão presentes, ficamos sem o referencial. “Leia também: O que você está permitindo que exerça influência na sua vida”. Leia o artigo completo…

Facebooktwittergoogle_plusmail

FUGINDO DO PECADO

Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.

(Marcos: 14.38)

 
O texto nos alerta para que estejamos alerta para que não venhamos a cair em tentação e venhamos a pecar. A razão disto é que o nosso espírito pode estar pronto, porém a carne não.

fugindo do pecado
A grande verdade é que a carne nunca estará pronta. Aliás, ela sempre estará pronta, mas para o pecado. Em nossa caminhada, às vezes, vemos pessoas vindo muito bem, caminhando em consonância com as coisas de Deus e, de repente, somos surpreendidos com a notícia que fulano se desviou, beltrano começou a fazer as coisas erradas e, não raro, nos surpreendemos muito, pois jamais poderíamos imaginar que isto pudesse vir a acontecer com esta ou aquela pessoa.
Em primeiro lugar é bom que fique bem claro que todos nós estamos incluídos no rol destas pessoas que podem, de um momento para o outro, vir a cair, simplesmente por sermos seres humanos e, somente isto, já é motivo para que tal coisa aconteça.
Entretanto, nós podemos fazer uma divisão entres os diversos seres humanos. E dentro desta divisão, existem aqueles que, muito embora já tenham se convertido, estejam caminhando de acordo com os preceitos de Deus, gostam de viver perigosamente, ou seja, muito próximos das coisas deste mundo. Usamos o termo “ muito próximo” , para diferenciar estas pessoas, já que como estamos neste mundo, fica impossível não conviver com as coisas dele, entretanto estas pessoas, que gostam do perigo, se aproximam mais do que deviam, entendem que, apesar de estarem ali, são fortes o suficiente para saber separar as coisas. A notícia ruim é que não são. Continue lendo o artigo…
Facebooktwittergoogle_plusmail